quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

O HAITI É AQUI

Perplexo ficou o mundo com a fúria da natureza sobre o Haiti no dia 12 de janeiro, pais mais pobre das americas e um dos mais pobres do mundo, autoridades do governo haitiano e da ONU estimam que morreram mais de 200,000 ( duzentos mil) pessoas nem templos erguido para adoração a Deus ficou em pé.

Graças a Deus a tragédia despertou o amor trazendo a tona a solidariedade, com grande ênfase em salvar, socorrer, reconstruir, cuidar, alimentar as vitimadas, levando o homem a unir-se em esforços despojado de ideologia, crença, raça, posição econômica, tudo em atenção a solidariedade humana, espécie sublime da criação de Deus. Relatos dramáticos de anônimos, voluntários, autoridades, repórteres que fazem a cobertura foram alimentos para a comoção mundial de tamanha tragédia, prevalecendo o amor que procede de Deus ( 1Jo: 4:7,8).

Que Deus toque no coração dos lideres mundiais e nas pessoas com capacidade de decisão, buscando esforços para minimizar a dor dos nossos irmãos haitiano. É preciso que o mundo entre na visão do evangelho de Jesus Cristo e seja solidário com os povos mais necessitados e desolados pelas catástrofes.

Particularmente precisamos olhar para nosso país e pedir a Deus que mude o quadro de dificuldades que vivem os menos favorecidos. As desigualdades sociais provocadas pela falta de investimento em educação básica e profissional que gera falta de oportunidades, conseqüentemente surgem as dificuldades econômicas desencadeando a violência não sendo uma questão apenas dos grandes centros urbanos mas, também, atingindo cidades interioranas. Neste contexto temos o uso de drogas como o principal fator gerador da violência.
Estamos refém da violência como se estivéssemos em prisão domiciliar, autoridades lutam com pouco sucesso no enfrentamento à criminalidade, com políticas publicas as vezes inadequada que pouco contribui para minimizar o caos em que vivemos.

Se não fosse o impacto natural de grande proporção que comoveu o mundo assustadoramente no Haiti, diria que o Haiti é aqui, mesmo que lentamente a população sofre e muitos morrem de fome e tem suas vidas encurtadas pela violência, a alta taxa de homicídio é a grande preocupação do governo, não tem mais espaços nos presídios e cadeias publicas. O Norte e o Nordeste brasileiro sofrem assustadoramente com fome e falta de oportunidades para trabalhar.

É preciso que a Igreja se mobilize independente de denominação desenvolvendo projetos sociais, atuando nas confecções de diretrizes governamentais, efetivamente buscar desenvolver ferramentas que minimize o sofrimento do povo. É dever da Igreja participar só ou em parcerias com o governo ou entidades não governamentais para buscarem juntos uma solução. É preciso que o Brasil seja temente a Deus.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Igreja Episcopal Carismática do Brasil • Paróquia Betesda

Rua Catulo da Paixão Cearense, Nº 350, Jardim Atlântico, Olinda - PE
paroquiabetesda@gmail.com